Campanha Flexibilização Responsável | ACIRP


06/06/2020

Campanha Flexibilização Responsável

Campanha da Acirp pela conscientização sobre o uso de equipamentos de segurança começa na próxima semana a ganhar os pontos comerciais da cidade

 

A nova campanha da Associação Comercial e Empresarial de São José do Rio Preto (Acirp), a “Flexibiliza Já” começou nesta sexta-feira (5/6) nas redes sociais da entidade e ganha as ruas na próxima semana. O objetivo principal é fazer com que os comerciantes de centro, bairros e shoppings centers, além de toda a população consumidora, se conscientize e cumpra todas as exigências sanitárias recomendadas pelos órgãos de Saúde.

Na próxima semana, colaboradores da Acirp estarão nas ruas do Calçadão, lojas de bairro e Shoppings Centers para entregar a empresários um kit de orientação e conscientização para uso de máscaras e demais itens de proteção para se proteger e proteger seus clientes durante a pandemia. A ação ainda contará com cavaletes em toda a área central com informações sobre os cuidados necessários.

Os associados receberão sem custo algum um kit contendo cartazes, adesivos e máscaras e poderão, também, fazer o download de todo o material pela internet. Mas, para isso, é necessário baixar o app Acirp Rio Preto, gratuitamente, e se cadastrar na campanha. É simples, rápido e muito fácil.

O principal objetivo da Acirp, com esta campanha, é que o comércio possa funcionar em seu horário normal ou, até mesmo, em horário ampliado. “O trabalho não é o vilão. O problema da contaminação pelo coronavírus, na maioria das vezes, não está no trabalho. O cenário de aumento do contágio não é por culpa da flexibilização, afinal, os indicadores de hoje refletem as ações de 15 dias atrás. A maior parte do contágio está acontecendo fora do ambiente de trabalho. A população está pagando um preço muito alto pelo fechamento dos negócios. E a conta só vai aumentar se não ampliarmos a flexibilização imediatamente”, explica o presidente da Acirp, Kelvin Kaiser.

A entidade apoia a retomada geral do comércio, como forma, inclusive, de conter a aglomeração nos principais pontos comerciais da cidade. Mas, para isso acontecer, é preciso que toda a população esteja consciente dos cuidados necessários para que a curva da doença não aumente e a cidade não precise voltar à fase 1, onde funcionam apenas os serviços essenciais. “Vamos aprender a conviver com o vírus até a solução definitiva. Por isso, é necessário que os estabelecimentos abertos cumpram todas as exigências sanitárias para que possamos evoluir nas fases da flexibilização”, comenta Kaiser.

“A preocupação das 4 horas de trabalho também é um agravante por conta da adequação do quadro de funcionários pela CLT”, afirma o presidente. “Muitos empresários ainda não conseguiram reabrir seus estabelecimentos em virtude do novo Decreto. Como é que este empresário vai sobreviver com seu faturamento drasticamente reduzido, como é que vai pagar seu funcionário abrindo apenas por 4 horas e com 20% da sua capacidade apenas? A flexibilização do horário precisa acontecer em caráter de urgência para preservar empregos e garantir um cenário mais otimista para a classe empresarial”.

Segundo o presidente, a economia está perdendo a saúde com os estabelecimentos funcionando desta forma. “Estamos trabalhando para que Rio Preto possa ter seu horário flexibilizado, até mesmo para evitar aglomerações, e para que os empresários possam trabalhar com maior capacidade de atendimento. Do jeito que está, as empresas não se manterão e o estrago será ainda maior”, comenta o presidente. “Mas, para isso acontecer, é essencial que a população fique atenta às normas sanitárias. O associado precisa cumprir todas as exigências e orientar funcionários e clientes. É muito importante. Pedimos também apoio ao Poder Público para direcionar a Guarda Municipal, e qualquer outro efetivo que consiga, nesse início de flexibilização, para ajudar na conscientização da população nas principais áreas de comércio de Rio Preto”, completa Kelvin.