Com aglomerações proibidas, como fica o setor de eventos? | ACIRP


30/05/2020

Com aglomerações proibidas, como fica o setor de eventos?

Convites virtuais, migração para o e-commerce e até feira de noivas on-line. Vale de tudo para conquistar clientes em meio à pandemia


 

O novo coronavírus e as medidas de isolamento social praticamente paralisaram as atividades do setor de eventos no país, incluindo casamentos, formaturas e festas em geral.

Com os espaços físicos fechados, os profissionais envolvidos na produção de cerimônias, como empresários, organizadores, decoradores e assessores, entre outros, estão tendo que se reinventar para superar a crise que afeta o setor.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Eventos (ABRAFESTA), Ricardo Dias, excetuando-se o serviço de delivery dos buffets e os produtores de lives, o setor amarga sérios prejuízos durante a quarentena.

“Além dos prestadores de serviços, todo o comércio envolvido está sendo impactado, caso das lojas de vestidos de noivas, bebidas e insumos usados em festas”, afirma Dias.

Dados da entidade apontam que o mercado de festas e cerimônias movimenta anualmente cerca de R$ 17 bilhões no Brasil.


CASAMENTOS

O segmento de casamentos é um dos mais atingidos pelas restrições impostas pela covid-19.

“Com o inicio da pandemia, todas as minhas cerimônias entre a segunda quinzena de março até o final de agosto foram adiadas”, conta Sônia Jacomini, proprietária da loja Design do Papel Convites.

A empresária trabalha há 20 anos com convites para todos os tipos de festa, 80% casamentos.

Os casamentos cujos convites já haviam sido entregues, para não perder os clientes, Sônia passou a oferecer, sem custos, versões virtuais, com as alterações das datas, além de pagamento com mais parcelas.

LEIA MAIS: Governo de São Paulo define regiões que poderão flexibilizar quarentena

“Também estou recebendo encomendas da parte externa dos convites. O interior, que traz a gravação das datas das cerimônias, será feito posteriormente. Assim pelo menos consigo movimentar a produção”, diz.

Outra profissional que precisou se reinventar foi a assessora de casamentos Raquel Esteves. Até o momento, durante a quarentena, ela já remarcou oito cerimônias previamente agendadas, sendo que algumas delas foram postergadas para 2021.

Normalmente, quando o casamento é reagendado de um ano para outro, a assessora cobra um acréscimo de 12% no valor do serviço. Com a pandemia, o reajuste não está sendo aplicado.


FEIRA ON-LINE

Conhecedora de toda a cadeia de fornecedores envolvidos com casamento, Raquel está organizando a primeira feira on-line do setor no país, a Expo Yes!, que será realizada entre 1 e 31 de agosto.

“O evento tem como objetivo ajudar a movimentar o setor. Apesar dos casamentos adiados, as pessoas não deixaram para trás o sonho de se casarem”, afirma a assessora.

“Portanto, existe sim uma grande procura por serviços e produtos para casamentos e que, devido às restrições, foi limitada pela impossibilidade de buscarem fornecedores por meio de feiras físicas”, completa.

Para participarem, os noivos precisam seguir a página oficial da feira no instagram (@expo.yes) e se inscreverem no site www.expoyes.com.br. A expectativa é que o evento reúna 50 expositores.

Os fornecedores interessados divulgarão seus produtos e serviços por meio de posts na rede social da feira, além de participarem de lives e palestras on-line. A cada contrato fechado, serão repassados 10% para a administração do evento, como forma de pagamento.


OPORTUNIDADE

Uma das profissionais que pretende se inscrever é a florista Ana Oieno. Há cinco anos ela faz buquês de noivas e arranjos florais para casamentos, além de eventos corporativos e festas em geral.

PARA ADRIANA BORGONOVI, PROPRIETÁRIA DA LOJA MAGIA DO ENXOVAL, O
E-COMMERCE PASSOU A SER PRIORIDADE

Ana conta que, com a pandemia, as vendas para casamentos pararam. O que está ajudando, segundo a florista, é o fato de que, com o isolamento, as pessoas estão dando flores para seus conhecidos mais frequentemente.

“Além disso, muitos decoradores estão fazendo pacotes de festas de aniversário em casa. Vou me inscrever na feira para ver se fecho contratos para eventos futuros. É uma ótima oportunidade”, afirma.


COMÉRCIO

Da mesma forma que os prestadores de serviços, comerciantes de artigos para festas precisaram se reinventar durante a quarentena.

Esse é o caso da empresária Adriana Borgonovi, proprietária da loja Magia do Enxoval, na Vila Prudente.

Além de artigos de enxoval, cama, mesa e banho, o empreendimento oferece personalização de lembrancinhas de casamentos e festas de aniversário.

Com o estabelecimento fechado desde o dia 20 de março em função de decretos que proíbem o funcionamento de serviços não essenciais na cidade, Adriana apostou no e-commerce para continuar vendendo.

“O fechamento da loja física impulsionou nossa presença digital. Estamos investindo bastante em divulgação via redes sociais e fazendo vídeos. Estou trabalhando ainda mais hoje e mesmo após a reabertura da loja, o e-commerce será uma das prioridades”, destaca. 

 

FONTE: Diário do Comércio