Protocolo do Sebrae orienta a retomada das MPEs de moda | ACIRP


07/08/2020

Protocolo do Sebrae orienta a retomada das MPEs de moda

Da higienização aos cartazes de aviso, da recepção de mercadorias à distribuição de máscaras personalizadas, documento é direcionado a um dos setores que mais sofreram na quarentena


Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa
Agência Sebrae - Diário do Comércio


Diante da reabertura gradual de algumas atividades econômicas no país, o Sebrae elaborou um conjunto de protocolos de retomada para 14 macrossetores, que englobam os segmentos mais atingidos pela crise provocada pela pandemia. São setores que, juntos, representam 73% do universo de pequenos negócios brasileiros.

Os documentos reúnem dicas e orientações técnicas de especialistas do Brasil e de organizações internacionais para auxiliar os donos de pequenos negócios no retorno seguro das empresas à atividade, considerando a aplicação adequada de procedimentos de segurança e higiene pelos empreendedores, seus colaboradores e fornecedores e pelo público em geral. Nesse contexto, um dos segmentos objeto de atenção pelo Sebrae é o varejo de moda.

Para apoiar os pequenos negócios do segmento, que inclui vestuário, calçados e acessórios, o Sebrae elaborou um “Protocolo de Retomada” específico. Além de adaptar-se para a reabertura das lojas físicas, os empresários precisam estender sua percepção sobre novos hábitos de consumo gerados a partir do período de isolamento social, e preparar seu time de colaboradores para incorporar as mudanças necessárias para um atendimento seguro para todos.

LEIA MAIS:  12 pontos de atenção para sua loja voltar a funcionar

O Sebrae compreende que a liberação do funcionamento dos estabelecimentos depende, fundamentalmente, das condições específicas de cada localidade. Por isso, a primeira grande recomendação é para que os empresários fiquem atentos aos decretos e demais regulamentos vigentes na sua região. 

Caso exista divergência de informações entre as medidas estaduais e municipais, a orientação é que sigam a  orientação mais rígida, de preferência aquelas que estão em sintonia com as recomendações das autoridades oficiais de saúde, como Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde, dentre outras. Para a reabertura das lojas físicas, é fundamental o controle rígido de segurança e higiene tanto para a equipe de colaboradores e fornecedores, quanto para os clientes.

TREINAMENTO DAS EQUIPES 

No momento pré-abertura, realize um treinamento prático com os funcionários, levando em consideração o acolhimento da equipe, as novas regras de funcionamento e orientações gerais de higiene. Se necessário, realize conversas individuais e avalie a possibilidade de realizar escalas para evitar aglomerações desnecessárias dentro da loja. Uma boa dica é enviar as recomendações pelo WhatsApp. Por menor que seja, todo estabelecimento deve se adaptar para estabelecer protocolos de higiene e segurança durante o horário de funcionamento.

Separe o estoque geral do estoque exposto ou que terá contato com o cliente. Organize uma área de chegada para os profissionais. Revise o layout da loja para garantir um espaço reservado para guardar itens pessoais dos colaboradores e forneça sacolas para cada um deles acondicionar os pertences.

No salão de vendas, faça adequações para manter a distância de atendimento de 1m. Utilize adesivos no chão para demarcação de espaços e, se possível, instale proteções de vidro ou acrílico nos caixas.

É importante deixar claro para os seus clientes todas as medidas de segurança que estão sendo adotadas e divulgar amplamente esses procedimentos nos espaços físico e virtual da empresa.

Para isso, use uma linguagem leve e acolhedora. Uma dica é fazer vídeos convidando os clientes para retornarem à loja, explicando que a empresa colocou em prática os melhores parâmetros de segurança em saúde.

Ainda não há estudos específicos sobre a higienização de estoques de têxtil e vestuário para a Covid-19, porém caso possível, utilize ferro de passar ou vaporizador com temperatura acima de 70ºC em todos os produtos antes da abertura da loja. Tente combinar o uso de vaporizadores com a desinfecção com álcool 70% das peças e caso haja dúvida sobre a higienização, deixe os produtos em quarentena por no mínimo 5 dias.

Confira abaixo as principais recomendações e orientações para abertura de funcionamento do varejo de moda: 

Para os colaboradores

No dia da abertura, revise a apresentação completa do material de boas práticas e reapresente todas as recomendações.

Aproveite o momento para mostrar ao seu time o quanto seu negócio conta com eles neste desafio. Oriente os profissionais para preservar o uniforme para uso apenas na loja e para que, depois de usadas, as roupas sejam colocadas em um saco plástico para o transporte.

É terminantemente proibido o compartilhamento de itens pessoais, como maquiagem, talheres e celulares entre os colaboradores.

Faça pequenas reuniões breves (de no máximo 30 minutos), com sua equipe ao final de cada dia, principalmente nas primeiras semanas, com o objetivo de aprimorar processos com exemplos práticos, alinhamento do discurso e motivação dos colaboradores.

Sobre o local de trabalho

Sinalize com cartazes, sistema de vídeo ou som as adaptações realizadas na loja, como fechamento do provador, distanciamento mínimo e outras medidas protetivas em virtude da covid-19.

Todo o estabelecimento deve ser cuidadosamente limpo e desinfetado diariamente antes da abertura, mesmo que tenha sido limpo antes do fechamento no dia anterior. Programe a chegada dos colaboradores com antecedência.

Mantenha a decoração mais minimalista possível para facilitar a higienização.

Aumente a frequência de limpeza do chão e borrife com solução de álcool 70% a cada três horas o estoque exposto ou mantenha rotina de uso de vaporizador de roupas pelo menos duas vezes ao dia.

Espaços de uso coletivo como banheiros, copas ou refeitórios também devem ser organizados e desinfetados após o uso. O lixo também deve ser acondicionado de acordo com as normas da vigilância sanitária local.

A máquina de cartão deve ser higienizada após cada uso e os pagamentos em dinheiro pedem atenção redobrada para limpeza das mãos.

Para os clientes

Faça uma boa recepção aos clientes na entrada da loja e aproveite para informar as novas regras de funcionamento, oferecendo álcool em gel na entrada e saída.

Se for o caso, defina um horário exclusivo para atender clientes acima de 60 anos ou de algum grupo de risco, preferencialmente nas primeiras horas de funcionamento da empresa.

Ofereça formas alternativas de pagamento como transferência bancária, picpay, pagamentos por aproximação do cartão para evitar contato com o caixa.

LEIA MAIS:  A nova dinâmica do Brás

Solicite que os clientes estejam de máscara, mas caso não possuam, ofereça opção de compra na loja ou caso seja viável, ofereça opções descartáveis.

Oriente, que se possível, não levem acompanhantes ou animais de estimação para evitar aglomerações. Essa recomendação deve ser divulgada tanto no interior da loja como nas redes sociais.

Sinalize de forma clara as demarcações de distância mínima e as recomendações quanto à indisponibilidade de provadores, políticas de trocas e outros procedimentos.

Evite realizar grandes promoções dentro da loja para não gerar aglomerações ou tumulto. Não ofereça serviços ou amenidades que retardem a saída do cliente da loja, como café, poltronas para espera ou área infantil.

Para os fornecedores e recepção de mercadorias

Organize um espaço separado para recepção de mercadorias, estoque ou outros insumos. Denomine esse espaço de área suja que deve ser alvo de limpeza e desinfecção com mais frequência, principalmente após a chegada das mercadorias.

Comunique os fornecedores sobre as recomendações de segurança para evitar constrangimentos.

Receba fornecedores ou distribuidores em um horário separado do atendimento ao seu público.

No momento de manuseio de documentos, recibos ou assinatura de documentos, utilize luvas ou higienize as mãos após os procedimentos.

Escolha um colaborador para supervisionar as novas práticas e, se possível, faça um rodízio para que todos se sintam responsáveis pela nova conduta e para manter a aplicação das medidas mesmo com maior clima de normalização.

Pense fora da caixa

Acione promoções atrativas pelas redes sociais e ofereça opção de retirada por drive-thru ou entrega pelos correios, com a opção para o cliente pagar por transferência, boleto bancário ou por meio de link de pagamento. E estenda o prazo para devolução.

Se tiver um espaço ao ar livre na sua loja, organize uma exposição nesse local para evitar aglomerações dentro da loja e o uso de ar condicionado.

LEIA MAIS:  Quarentena faz vendas à distância virarem moda no Bom Retiro

Caso tenha o hábito de oferecer brindes ou mimos aos clientes, pense em doar máscaras de tecido com a sua marca ou mini frascos de álcool em gel para uso em bolsas.

Disponibilize atendimento via whatsapp para o cliente esclarecer dúvidas quanto ao funcionamento da loja.

Tenha fotos das roupas em modelos próximos às araras, disponibilize catálogos em sistema interno de TV e a ficha técnica com as medidas do produto.


FOTO: Karina Lignelli