Três qualidades que todo líder deve ter | ACIRP


24/01/2019

Três qualidades que todo líder deve ter

Fazer bem o próprio trabalho é só o primeiro passo. Veja o que separa os grandes líderes dos demais no dia a dia

O que faz alguém ser um grande líder? A pergunta pode ter múltiplas respostas, mas há, no mínimo, atributos básicos que todos os aspirantes à liderança devem saber. Ser bom tecnicamente no que se faz não é o suficiente.

Para os especialistas da consultoria em cultura e liderança empresarial Partners in Leadership (PIL), o que torna algumas pessoas diferentes das demais e as encaminha à liderança é a capacidade de influenciar os outros.

Décadas atrás, Bill Gates, um dos maiores líderes empresariais de todos os tempos, já havia dito: “conforme olhamos à frente para o próximo século, [vejo que] líderes serão aqueles que empoderam o outros.”

Com base nesse princípio, a PIL listou três lições básicas que todo empreendedor ou executivo deve saber, se a sua intenção for liderar pessoas:

1. O poder da simplicidade

A oratória costuma ser um dom da maioria dos grandes líderes. Mas isso não implica necessariamente em longos discursos ou frases muito bem elaboradas. Pelo contrário: lideranças precisam ser compreendidas pelo maior número de pessoas, e a melhor forma de fazer isso é optando pela simplicidade.

O exemplo dado pelos especialistas está no anúncio, pelo então presidente americano John F. Kennedy, de que o país enviaria astronautas à Lua. A frase foi um simples “Nós escolhemos ir à lua.”

“Líderes visionários reconhecem o poder da simplicidade para convencer e motivar os outros, e faz comunicados que sejam memoráveis, poderosos e vão direto ao ponto. Todas as pessoas na empresa, desde o faxineiro ao CEO, precisam ter condições de dizer o que a empresa faz e quais os valores dela”, diz.

2. Apoio à equipe

Não adianta ser um líder se os liderados fracassarem. E, em parte, o sucesso de uma equipe é responsabilidade de seu líder. Por isso, a PIL ressalta a importância de um CEO ou líder de área estar próximo aos subordinados, incentivando-os, apontando erros e ajudando-os a melhorar.

“Seja guiando o design de um novo produto ou tendo uma reunião de feedback  com algum funcionário júnior, grandes líderes esforçam-se para agregar valor á companhia ajudando as pessoa as resolver problemas.”

Fazendo isso guiado pelos indicadores chave da empresa, como produtividade e rentabilidade, a combinação mais provável é a de lucro acompanhado de uma equipe satisfeita e orgulhosa.

3. Faça o exercício de acreditar

Você já deve ter ouvido por aí que a Walt Disney, um dos maiores grupos de entretenimento do mundo, “não vende produtos, vende sonhos”. E é verdade. Mas o sucesso da empresa não se deveu simplesmente à magia dos personagens e das histórias criadas ali. Exigiu também persistência e a aposta em ideias que pareciam incertas na época.

O próprio Walt Disney foi criticado pela ideia de criar a Disneyland, primeiro parque temático da empresa, na Califórnia. Ele já contou que todos os consultores financeiros à época o desaconselharam, dizendo que seria um gasto enorme em uma estrutura que não seria visitada. Imagina se ele tivesse seguido o conselho?

Isso não quer dizer que qualquer ideia posa dar certo. Mas que toda ideia que funciona passa por um período de dúvidas, e que é preciso não desistir tão facilmente. “É essa disposição a acreditar que impede líderes de desistir ou se sentirem abatidos após algum retrocesso no meio do caminho. E é essa fé que, em última instância, leva suas empresas a alcançar granes feitos.”

 

FONTE: Revista PEGN